Operação "Carne Fraca"

Operação “Carne Fraca”: Ministro garante que Governo está agindo com rigor

Ministro afirma que 99% dos produtores agem corretamente
Créditos: Arquivo

Neste domingo (19.03) o Ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi se reuniu com o presidente Michel Temer, com ministros de governo e embaixadores de países importadores de carne brasileira. Durante o encontro o Ministro afirmou que, a partir de agora, os 18 estabelecimentos citados na investigação da Polícia Federal terão presença de auditores fiscais agropecuários.  “Nada sairá desses frigoríficos sem autorização expressa de nossos auditores, que trabalharão em regime de rodízio”, ressaltou o Ministro.

“Estamos sendo rigorosos, efetivos e rápidos, sem passar a mão na cabeça de quem faz coisa errada”, disse o ministro, mas ressaltou que “99% dos produtores fazem a coisa certa”. O ministro também fez questão de explicar que houve problemas com o que chamou de narrativa do inquérito. “Sobre papelão, está claro, no áudio, que estão falando de embalagem e não de misturar na carne”. 

Ainda foi declarado que o uso de ácido ascórbico (vitamina C) e de carnes da cabeça de suínos são usados em embutidos, que isso consta nas normas do ministério, dentro de limites estabelecidos no mundo todo.

Outra iniciativa, disse o ministro, será o trabalho conjunto com a Polícia Federal. “A investigação terá amparo técnico, o que não houve até agora”. Blairo Maggi observou que não há laudos dos produtos que foram mencionados na investigação. “Quero crer que investigação terá, agora, outro rumo, aliado à ciência e ao conhecimento que temos”, informou.

Blairo Maggi se referiu ainda a preocupação com a qualidade dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros e nos países importadores. “Estamos trabalhando fortemente para resolver esse assunto”. Lembrou que depois de sua chegada ao ministério editou portaria exigindo que a substituição de fiscais nos estados seja atribuição da Secretaria de Defesa Agropecuária e não mais de superintendentes regionais.

O Brasil é grande exportador de alimentos, detendo 7% do mercado mundial do agronegócio, observou Blairo Maggi. E a mesma inspeção a que os produtos são submetidos no país também ocorre no exterior, atestando padrões e a qualidade do trabalho feito por nossos fiscais, destacou, tratando o desvio de conduta de servidores, já exonerados, como minoria no universo de 11 mil funcionários do Mapa.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é ser necessário ser cadastrado
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos