21/02
CME
BM&F

Soja
10,26 (21/02)
n.d.

Milho
3,69 (21/02)
34,24 (21/02)

Colunistas


Dilemas éticos: cada escolha uma renúncia

Quantidade de visitas: 2458
17/02/2014 - 09:46

Edivan Júnior Pommerening

Ética é um conjunto de princípios e valores que regem a conduta de um determinado grupo de pessoas. Esse grupo pode ser uma família, uma empresa, uma cidade, um país, etc. Portanto, a ética não é unânime em todo o mundo; alguns princípios e valores são defendidos internacionalmente, mas outros divergem entre grupos. Mesmo em caráter individual, o que é ético para um pode não ser para outro.
Partindo deste ponto, conclui-se que todos os grupos de pessoas têm ética. Eles podem até não ser éticos intra e entre si, mas não podem ser classificados como aéticos. O que ocorre com freqüência é a comparação da ética praticada entre grupos, fazendo-nos dizer, com base nos princípios dos grupos aos quais pertencemos, ou mesmo em nossos próprios princípios, que o outro faltou com ética.
É comum ouvirmos políticos dizerem que primam pela ética, mas que ética? A deles. Exemplo: é possível que um dos princípios da classe política seja praticar corrupção, ativa e/ou passivamente. Essa prática pode até ser antiética para outros grupos, mas não pode ser considerada aética, pois está de acordo com os princípios que regem aquela classe, ou pelo menos parte dela.
Outro exemplo: os traficantes de drogas também têm sua ética, seus princípios, seus valores. São princípios desaprovados pela maioria dos demais grupos, mas norteiam sua conduta. Muitos grupos de tráfico, inclusive, possuem tribunais próprios para julgar seus integrantes que infringiram as leis internas. Portanto, a ética está ligada ao comportamento de um grupo de pessoas.
As empresas também se vêem constantemente entre a cruz e a espada. Ganhar dinheiro a qualquer custo ou ganhar um pouco menos, mas somente com negócios amparados pela lei? Cabe a cada uma estabelecer de antemão seus princípios e valores e segui-los. Se a decisão for respeitar a lei, então esse é o norte, se a ordem é ganhar dinheiro a qualquer custo, que assim seja.
Em nossa vida particular não é diferente. Exemplo: manipulamos a declaração de imposto de renda para pagar menos ou informamos todas as fontes de renda e todas as despesas efetivas e pagamos o imposto apurado? A lei pode ser injusta, podemos não ter a contrapartida que gostaríamos de ter em troca do imposto pago, mas ela é soberana, não devemos fazer justiça com as próprias mãos.
A ética não pode restringir-se ao discurso ou ficar estampada em murais só “prá inglês ver”. Ética é prá ser praticada: em casa, na empresa, na igreja, na escola, na comunidade, etc. Destarte, mais desafiador que escrever um código de ética é imunizar as pessoas envolvidas contra as tentações da carne; é persuadi-las a entender que os interesses particulares jamais podem sobrepujar os interesses coletivos.
Assim como não existe mulher mais ou menos grávida, também um indivíduo não pode ser mais ou menos ético e uma empresa ser parcialmente ética. Ética é a empresa que, de acordo com os princípios e valores pessoais e coletivos, faz a coisa certa mesmo que não tenha ninguém lhe vendo, lhe fiscalizando. Ético é o pai que durante o jantar pode contar aos filhos tudo o que fez durante o dia.
O grande desafio da humanidade é estabelecer princípios e valores comuns aos vários grupos, buscando a equalização, a ética universal. Cada indivíduo deve fazer sua parte neste processo, conhecendo, praticando e disseminando através de exemplos os princípios éticos nobres que orientam os grupos aos quais pertence e que são assimilados pelos seus vizinhos.
A receita para uma conduta ética contém apenas um ingrediente: “educação”; e esse ingrediente precisa ser cultivado no ambiente familiar, acadêmico, religioso, corporativo, social, etc., para que o ser humano se comporte de um modo socialmente aceito. Essa receita rende incontáveis porções, de um prato saboroso que sacia a fome coletiva por uma sociedade mais justa e fraterna.
P.S.: De fato, a vida é feita de escolhas. Fizemos inúmeras escolhas diariamente. Não raro nos deparamos com encruzilhadas, e cada escolha implica renúncias. Tomando o caminho da esquerda renunciamos as oportunidades e as dificuldades do caminho da direita, igualmente se o caminho escolhido for o da direita. Cabe a nós assumirmos as conseqüências e reduzirmos as inconseqüências de nossas escolhas.




Comentários

Comente esse conteúdo preenchendo o formulário abaixo e clicando em enviar






- Opiniões expressas nesse ambiente são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representam o posicionamento do Portal Agrolink.

Até o momento não houve nenhum comentário para esse conteúdo.



Colunistas | Eventos  | Cadastre-se  | Agrotempo  | Feiras e Fotos  | Vídeos
Ip: 54.161.164.139 Cod: -1 Est: -1 Cid: -1

 
Fale Conosco
Em que podemos ajudá-lo?