18/01
CME
BM&F

Soja
10,75 (18/01)
n.d.

Milho
3,65 (18/01)
35,78 (18/01)

Aftosa


PREVENÇÃO SANITÁRIA


Proteção de zonas livres mediante controle e vigilância dos deslocamentos de animais nas fronteiras.
- Sacrifício de animais infectados, recuperados e de animais suscetíveis que entraram em contato com indivíduos doentes.
- Desinfecção dos locais e de todo material infectado (artefatos, veículos, roupas).
- Destruição dos cadáveres e produtos animais suscetíveis na zona infectadas.
- Medidas de quarentena.
Critérios para o controle da febre aftosa:
A Organização Internacional de Epizootias deve ser comunicada quanto à presença da febre aftosa dentro de 48 horas e essa organização informará os demais países interessados. Se a produção animal representa uma parte significativa da economia nacional, o país afetado geralmente instituirá medidas de controle drásticas e de efeito imediato.
A trajetória da doença deve ser seguida de perto e todos os animais susceptíveis potencialmente expostos devem ser abatidos e então queimados ou enterrados, seguindo certas regras.
O transporte de animais e subprodutos animais, incluindo leite, deve ser proibido dentro das áreas afetadas e a exportação desses produtos também deve ser proibida.
O trânsito de pessoas, equipamentos e de outros produtos, incluindo lixo, e o trânsito de animais não susceptíveis devem ser monitorados de perto e os procedimentos de desinfecção devem ser observados. O trânsito livre de animais tais como, cães, gatos, veados e roedores pela área afetada deve ser controlado.
Fazendas infectadas e tudo o que sai da fazenda, incluindo pessoas e veículos, devem ser desinfetados usando desinfetantes apropriados. É fundamental desinfetar pneus e a parte de baixo de todos os veículos que saem da área afetada.
A alimentação de animais com subprodutos de outros animais dentro da fazenda deve ser proibida.


PREVENÇÃO MÉDICA:

- Vacina com vírus inativado e adjuvante. A imunidade é conferida seis meses após as primeiras vacinações. Vários países tem bancos de vacinas com os sorotipos que mais comumente ocorrem em suas regiões. São conhecidos sete sorotipos e 70 cepas do vírus da febre aftosa. Uma vacina simples pode controlar todas as cepas de um mesmo sorotipo. Animais que tenham sido vacinados são soro-positivos, tornando difícil certificar-se de que esses animais não são portadores e de que a doença tenha sido verdadeiramente erradicada.


REGIÕES AFETADAS

A febre aftosa é endêmica em partes da Ásia, África, Oriente Médio e América do Sul, onde ocorrem focos esporádicos em zonas consideradas livres da doença.


Prevenção da entrada da febre aftosa em um país livre da doença:

Cada país desenvolve suas próprias formas de controlar seus portos de entrada e importação com respeito a febre aftosa. Há várias formas de controlar a entrada da doença em um país e freqüentemente as decisões são tomadas após a análise dos riscos. O risco nunca é zero. Algumas das regulamentações usadas para prevenir a entrada da doença incluem a total proibição da importação de animais de países onde a febre aftosa é endêmica. Outros países são mais seletivos, aceitando somente certos produtos que tenham passado por alguma forma de tratamento que assegure a ausência do vírus da febre aftosa nesses produtos.
Adicionalmente, o controle de fronteiras varia grandemente entre os países. Em alguns deles, todas as bagagens vindas de países onde a febre aftosa é endêmica são monitoradas. Em outros países a inspeção é menos rigorosa.


Fonte:
Organização Internacional de Epizootias (OIE)
Department of Defense National Security and Education Program (NSEP)-Pesquisa sobre febre aftosa desenvolvida por estudantes da University of Georgia e Universidade Federal de Santa Maria (março/2001)


Colunistas | Eventos  | Cadastre-se  | Agrotempo  | Feiras e Fotos  | Vídeos
Ip: 54.211.148.181 Cod: -1 Est: -1 Cid: -1

 
Fale Conosco
Em que podemos ajudá-lo?